Como Organizar os Investimentos com o Kinvo

Como Organizar os Investimentos com o Kinvo

Quando iniciamos nossa vida de investidor, um dos maiores problemas é conseguir centralizar todas as informações dos nossos investimentos em um só lugar.

Afinal muitas vezes possuímos contas em diversas corretoras de valores, para poder claro, aproveitar o melhor de cada uma.

Nós por exemplo, hoje, possuímos conta e utilizamos 5 corretoras de valores diferentes, cada uma acaba possuímos um motivo em específico.

Consolidando os Investimentos com o Kinvo

Para quem não conhece, o Kinvo é um aplicativo, mas também funciona na web, que faz exatamente isso que necessitamos, centralizar  todos os nossos investimentos em um só lugar, tornando assim nossos Investimentos Organizados.

Imagina você ter sempre que atualizar uma planilha para isso? Ter que sempre entrar na conta de todas as corretoras para pegar os dados e lançar eles manualmente?

Isso torna esse processo lento e complexo, já com o Kinvo, tudo torna mais simples devido a integração que ele possuí com o CEI e o Tesouro Direto.

Então se você possui investimentos em Ações, Fundo Imobiliários, ETF ou Tesouro Direto, conseguirá importar de forma simples para o sistema.

Produtos de Renda Fixa

Dentro da Renda Fixa, sabemos que existe um mundo de produtos e nem todos poderão ser importados de forma simples para o Kinvo.

Quando você investe em um CDB, precisará importar de forma manual, porém pela facilidade de uso do aplicativo em questão, esse processo é simples e rápido, você não precisará ficar atualizando ele sempre, afinal o investimento em um CDB costuma ser individual.

Fundos de Investimentos

Assim como alguns produtos de Renda Fixa, os Fundos de Investimentos também precisam ser lançados de forma manual, pois não existe um sistema que seja possível a importação para dentro do aplicativo.

Porém o Kinvo possui um banco de dados gigante permitindo que você identifique exatamente qual o fundo que você detêm investimentos, em qual corretora, quais as condições que você investiu e a partir daquele momento, ele atualizará de forma automática seus investimentos.

Contas Correntes e Outros Investimentos

Para valores que você possui investido em conta corrente como o Cofre do NuBank, ou alguma conta que tenha rentabilidade sem necessidade de um investimento direto, você precisará lançar de forma manual o investimento, porém é simplificado também.

Já investimentos em Criptomoedas, Debêntures, Previdência e outros produtos personalizados entram na mesma situação.

Uma Ferramenta para Organizar os Investimentos

Por tudo isso, aconselho a utilização do Kinvo para Organizar os Investimentos, claro que não possui apenas ela no mercado, hoje existem diversas outras sendo o TradeMap a maior concorrente.

O mais interessante do Kinvo é que você conseguirá ter muitas funcionalidades na sua versão gratuita, não precisando assim pagar uma ferramenta para isso.

Gravei também um vídeo explicando como é o funcionamento da ferramenta e mostrando na prática para vocês.

Planejamento Financeiro para Realizar uma Viagem

Planejamento Financeiro para Realizar uma Viagem

Muitas vezes quando planejamos a realização de uma viagem acaba que uma das últimas coisas que fazemos é o planejamento financeiro, com isso, muitas vezes acabamos gastando mais do que deveria.

Quando temos um planejamento realista e organizado, feito de forma antecipada, além de mais organizada, provavelmente menor serão os custos.

Normalmente dividimos esse planejamento em algumas partes.

Orçamento

A primeira coisa que você deve decidir é qual o orçamento para sua viagem, afinal não adianta querer viajar para a Disney se seu orçamento é de 5 mil reais.

Muitas vezes achamos que temos que escolher para onde viajar e depois fazer o restante, mas não, saber quanto você tem disponível para viajar é ainda mais importante.

Senão você já sabe, vai estourar o orçamento fácil ou vai voltar cheio de dívidas e irá demorar a viajar novamente.

Escolhendo o Destino

Com o orçamento definido, o próximo passo é a escolha do destino que deseja conhecer.

Nós por exemplo, temos um padrão de viagem depois de tantos anos monitorando nossas experiências.

Se nosso orçamento for em torno de 5 mil reais, sabemos que podemos viajar para qualquer destino nacional com tranquilidade.

É claro que sempre terão exceções. Com esse valor em algumas situações você consegue viajar até para a América do Sul.

Escolhendo o Destino

Mas uma viagem para a América do Norte por exemplo, dificilmente sairá por menos de 15 mil o casal.

Agora que você escolheu o destino, vamos ao próximo passo?

Passagens Aéreas

Esse é o primeiro item que pesquiso após a decisão do orçamento e do local, pois ele irá definir os demais.

Você não conseguirá reservar sua hospedagem se não souber a data que chega e sai da cidade.

Por isso, utilizar um site que te ajuda a monitorar o preço e também encontrar o valor mais barato entre as companhias e os dias mais em conta é super importante que é o Passagens Promo.

Hospedagem

Agora é a hora da hospedagem, aqui existe diversas opções, dentre elas temos os campings, hostels, pousadas, hotéis e até casa de temporada.

Nos normalmente quando viajarmos acabamos optando por casa de temporada, assim além de economizar um bom valor, ainda ficamos em locais até mais interessantes que os hotéis e com mais comodidade.

Já chegamos a nos hospedar em uma mansão em uma viagem de família pagando metade do que pagaríamos se tivéssemos indo para um hotel.

Casa Maragogi Airbnb

Para isso, utilizamos o Airbnb. Uma plataforma que conecta viajantes a pessoas que desejam alugar sua casa por alguns dias. Aproveita e pega aqui um super desconto para você no Airbnb.

Passeios

Ultimamente a forma como temos feito para encontrar os passeios é procurando as atrações mais famosas do local, um bom site para isso é o Trip Advisor, onde conseguimos encontrar também relatos dos viajantes.

Mas quando precisamos de um guia ou empresa para fazer certo passeio, o Instagram tem sido a ferramenta para encontrar essas pessoas, foi assim nos passeios que fizemos em Brotas por exemplo.

Alimentação

Com o passar do tempo, em suas viagens, você consegue perceber um padrão, como usamos uma planilha para nossas viagens, isso fica mais fácil.

Hoje, sabemos que nossa média é de R$100 por dia para o casal. Mas esse valor poderia ser maior se todas nossas refeições fossem em restaurantes.

Transporte na Cidade

Aqui é um outro ponto que muitas pessoas acabam esquecendo de mensurar ao planejar sua viagem.

Nos dias de hoje é difícil ver um turista pegando transporte publico, com exceção em cidades que tenham metrô, como a capital de São Paulo.

Muitos acabam ficando na alternativa do Uber, 99 Taxi, entre outros.

Nos como gostamos de viajar de carro e de dirigir, sempre optamos por alugar um carro e para isso, utilizamos a RentCars para pesquisar em qual locadora está mais barato e assim aproveitar.

Aluguel Carro RentCars Chile

Um ponto positivo é que nas reservas através da RentCars, normalmente já está incluso o seguro do veículo. Como foi em nosso Aluguel em Santiago no Chile de uma SUV para conhecermos vários lugares!

Planeje para Viajar

Essas são algumas das dicas que nos auxiliam no planejamento para viajar, ao invés de viajar e quando voltar planejar como pagar.

Se você gostou dessas dicas deixe seu comentário com outros temas que quer ver por aqui.

7 Siglas da Renda Fixa que você precisa Aprender

7 Siglas da Renda Fixa que você precisa Aprender

Quando iniciamos nossa vida dentro dos investimentos, acabamos nos deparando com diversas siglas e dificulta o aprendizado quando não sabemos exatamente o que significa e o quão importante elas são.

Por isso, preparamos para vocês uma lista com 7 dessas siglas, explicando de formas simples e objetiva tudo aquilo que você precisa saber para começar.

1 – SELIC

É a taxa básica de juros do Brasil, utilizada no mercado interbancário para financiamento de operações com duração diária, lastreadas em títulos públicos federais.

Você irá se deparar com ela em investimentos do Tesouro Direto, como o Tesouro SELIC, onde a rentabilidade é o valor da SELIC adicionada a uma pequena taxa.

2 – IPCA

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), medido mensalmente pelo IBGE, foi criado com o objetivo de oferecer a variação dos preços no comércio para o público final. O IPCA é considerado o índice oficial de inflação do país.

Você irá se deparar com ela em investimentos como Tesouro IPCA+ e CDB, normalmente adicionadas de uma taxa pré-fixada.

3 – CDI

O CDI, sigla para Certificado de Depósito Interbancário, é um título emitido pelos bancos para a realização de operações de empréstimo entre si, em uma modalidade de curtíssimo prazo. Isso acontece, entre outras coisas, por força de uma regra do Banco Central.

Você irá se deparar com ele em investimentos ligados a instituições financeiras, como os famosos CDB’s. Normalmente será um porcentagem do CDI a rentabilidade. Exemplo: Um CDB que rende 120% do CDI.

4, 5 e 6 – CDB, LCI e LCA

CDB – Certificado de Depósito Bancário
LCI – Letra de Crédito Imobiliário
LCA – Letra de Crédito do Agronegócio

As três siglas, são investimentos que você poderá fazer através de uma instituição bancária que irá te remunerar com uma renda fixa.

As particularidades é que a LCI e LCA, são títulos com o objetivo que o capital gerado seja utilizado para gerar crédito no setor Imobiliário e do Agronegócio, dessa forma gerando isenção de Imposto de Renda.

7 – FGC

O Fundo Garantidor de Créditos (FGC) é a instituição responsável por ressarcir os investidores se um banco emissor de títulos privados (ex.: LCI, LCA, CDB e poupança) quebrar ou der calote.

A garantia oferecida pelo FGC é, atualmente, limitada ao valor de R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira.

Com isso, ao fazer um investimento em Renda Fixa, verifique se o mesmo está coberto pelo FGC, essa é a segurança que você pode ter.

Resumo da Live – Organizando sua Vida Financeira

Resumo da Live – Organizando sua Vida Financeira

Assista a Live clicando na imagem abaixo!

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma live com um bate papo descontraido com a Priscila do @elasconversam dando uma visão geral de como construir uma vida financeira saúdavel.

Uma publicação compartilhada por Organização Pessoal e Finanças (@organizo.me) em

Porque será que é tão difícil para população Brasileira guardar dinheiro?

  • Educação financeira está engatinhando no Brasil. Algumas escolas estão começando a incluir na grade agora;
  • As pessoas não tem o hábito de controlar e fazer um planejamento financeiro, acompanhar a evolução dos seus gastos e padrão de consumo;
  • Falta de prioridades para o dinheiro;
  • Sonhos grandes demais, assim se tornam muito distantes e que acabam deixando de ser uma prioridade;
  • Falta de foco, quando a roda da vida está desequilibrada na parte financeira isso afeta também outras áreas da vida;
  • Quando o fator merecimento está baixo na roda da vida, a tendência é a pessoa não se esforçar para evoluir;
  • Dificuldade em falar de finanças abertamente, ultrapassar esse tabu.

O dinheiro serve para 3 coisas

  • Ter segurança
  • Realizar os nossos sonhos (grandes ou pequenos)
  • Ajudar outras pessoas

NÃO É APENAS GUARDAR POR GUARDAR E SIM TER UM PROPÓSITO

É uma escada que vamos subindo e evoluindo, degrau a degrau.

Não queremos passar a vida pagando conta, queremos realizar nossos sonhos e devolver ao mundo aquilo que o mundo deu para gente.

Como as mães/mulheres podem começar a estar mais presente na parte financeira da casa?

  • Começar a fazer listas: supermercado e da feira (para ter noção também da variação de preços). Mostrar a importância da lista para a outra pessoa e como esse pequeno hábito facilita a nossa vida;
  • Organizar as contas da casa, fazer um lista de tudo que tem para pagar, ter um check-list com os vencimentos das contas;
  • Começar a ter noções onde se pode começar economizar e onde vale a pena economizar;
  • Mostrar interesse: perguntar se o outro precisa de ajuda e se colocar a disposição para ajudar;
  • Se comunicar, buscar o seu espaço;
  • Procurar uma renda extra para ajudar nas finanças.

Dentro dos publico de casais temos 2 perfis

  1. Cada um cuida do seu dinheiro e dividem as contas da casa
  2. O dinheiro é em comum, ambos decidem.

Para nós o segundo perfil é o ideal porque se decidimos dividir a vida, ter filhos em comum, ter uma casa, então porque as finanças tem que ser separadas?

Alguns casais fazem essa divisão porque nunca conversaram sobre o assunto finanças. Cada um cuida do seu desde quando começaram juntos.

IMPORTANTE

A mãe/mulher tem que ter noção do que está acontecendo com as finanças para:

  • Não ficar excluída das decisões;
  • Para não gastar além do permitido sem saber;
  • Para que “pequenos gastos” não venham se tornar uma bola de neve, porque o companheiro ou companheira não comunicou como estavam as coisas.

Porque é importante os companheiros estarem em sintonia no quesito finanças?

  • Para que tenham sonhos em comum;
  • Planejem a vida de forma em comum;
  • Finanças ser assunto em comum e algo tratado com tranquilidade;
  • Ambos vão estar com os pés no chão, não vão sonhar além do que é possível pagar;
  • Anotar e Planejar são os pequenos passos para alcançar os seus sonhos, primeiro passa pela consciência depois para o papel.

Priorizar os sonhos e não passar a vida inteira só pagando contas.

Por que é importante está preparados para imprevistos? E como fazer isso?

  • Porque eles vão acontecer só não sabemos quando

Fazemos isso através da Reserva financeira – Reserva de Emergência – Reserva de Estratégia

É reservar um dinheiro preparado para imprevistos

Por onde começar investir?

  • Primeiro temos que quebrar o mito de que só investe quem é rico.
  • Começar a investir com pouco, independente do valor
  • Criar o hábito de guardar dinheiro e poupar
  • Programar os investimento logo que inicia do mês, para não se autossabotar

Acesse nosso e-book que fala como 6 Passos para Construir sua Reserva Financeira

Porque devo guardar dinheiro? Para aquelas pessoas que mesmo sabendo que precisa guardar mas ainda resistem em não começar.

Razões:

  • Não precisar pedir emprestado caso surja alguma necessidade, não pagar juros sem necessidade
  • Não confiar a outro o destino do meu futuro, no caso de aposentadoria através da previdência do governo
  • Aproveitar oportunidades: se você tivesse o dinheiro poderia comprar sem afetar o seu orçamento. Sem parcelamentos, sem pegar dinheiro emprestado.
  • Ter consciência o quanto levou para ter aquele dinheiro, produz pessoas que tem um consumo mais consciente e que assim traz liberdade
  • Ter opção de escolha: não necessariamente trabalhar pelo dinheiro.

Onde guardar o dinheiro?

Contas digitais – NuConta rende mais que a poupança
Picpay
Carteira do pagseguro
Tesouro Direto SELIC – 30% a mais que a poupança

Manter nesses investimentos até ganhar experiência para migrar para investimentos mais ousados ou contratar uma consultoria financeira.

Possibilidades de fazer uma Renda Extra

Principal meios estão na internet

  • Digital Influencer
  • Escrever em um Blog
  • Divulgar marcas
  • Fazer doces, bolos, hambúrguer em casa, Dindin ou sacolé
  • Arte com Lettering: produção de capa de livros, quadros, etc.
  • Artesanato
  • Trabalhar como Assistente Virtual

Colocar energia naquilo que deseja realmente fazer. Coloque vontade.

Fazer experimentos, ser curioso. Tentar atividades novas para ver se você gosta e quem sabe transforma-la em um negócio.

Nosso propósito é ajudar as pessoas a mudar a vida e mentalidade através da organização, organização financeira e psicologia positiva.

Exercícios

Fazer uma listas de sonhos do casal de forma separada. Depois disso, juntam-se as listas para ver se ambos estão caminhando na mesma direção. Esse exercício vai ajudar alinhar as expectativas de cada um.

Tirar uma fotografia financeira

Tenho dividas? Se sim anotar todas as informações daquela divida. Procurar soluções para liquidar essa divida o quanto antes.

Se não tem dividas. Comece anotando gastos, para futura análise e para fazer comparativos que vão nortear o que está sendo bem sucedido ou o que precisa de alteração.

Considerações Finais

  • Consuma com consciência
  • Nunca gaste mais do que você ganha
  • Mude o Mindset: Não ache chato lidar com as suas finanças, pois a energia empregada retorna para você.
  • Tenha tempo para as suas finanças
  • Tranquilidade financeira importante para tranquilidade emocional
  • Não ser escravo do dinheiro, mas o contrário fazer ele trabalhar ao nosso favor.
O que é e como funciona o Fundo Garantidor de Crédito?

O que é e como funciona o Fundo Garantidor de Crédito?

Qual a segurança que esse investimento possui? Essa é uma frase muito escutada ao falar sobre investimentos de uma forma geral.

Portanto quando tratamos de Investimentos de Renda Fixa o Fundo Garantidor de Crédito ou FGC será a principal segurança que você terá!

O que é o Fundo Garantidor de Crédito?

Criado na década de 90, por uma preocupação cada vez maior das autoridades com a estabilidade do sistema financeiro, surgirão os sistemas de garantia de depósito.

Assim tornando uma verdadeira tendência mundial e por sua vez o Brasil não ficou para trás.

Em Agosto de 1995 uma resolução do Conselho Monetário Nacional autorizou a criação do FGC.

Com a missão de proteger depositantes e investidores no Sistema Financeiro Nacional além de prevenir uma crise bancária sistêmica.

Qual a garantia do FGC?

O Fundo Garantidor de Crédito possui garantia ordinária de até R$ 250 mil e fazem parte da garantia os seguintes créditos, em geral produtos de Renda Fixa:

  • Depósitos a vista ou sacáveis mediante aviso prévio;
  • Depósitos de Poupança
  • Letras de Câmbio (LC);
  • Letras Hipotecárias (LH);
  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI);
  • Letras de Crédito do Agronegócio (LCA);
  • Depósitos a prazo, com ou sem emissão de Certificado RDB e CDB;

Quer saber o que não está coberto pela garantia ordinária do FGC? Acesse aqui.

Limite da Garantia até R$ 1 Milhão

Em Dezembro de 2017 o Conselho Monetário Nacional aprovou um teto de R$ 1.000.000,00, isso mesmo, 1 Milhão a cada período de 4 anos para garantias pagas para cada CPF ou CNPJ.

Isso quer dizer que em um período de 4 anos, caso ocorra de quatro instituições que você tenha crédito falirem, você poderá receber o limite de R$ 250 mil em cada instituição.

Capacidade de Pagamento do FGC

Com a publicação do Relatório Anual de 2019 do FGC conseguimos alguns dados para fazer simulações. Como o Patrimônio de R$ 80,6 Bilhões sendo R$54,6 Bilhões em caixa ou com facilidade de virar caixa.

Apenas 0,33% de quase 260 milhões de clientes possuem acima de R$ 250 mil em Garantias Ordinárias, sendo 88,23% que possuem um máximo de R$5 mil reais.

Porque o Tesouro Direto não é coberto pelo FGC?

O Tesouro Direto não tem cobertura do Fundo Garantidor de Crédito pois ele já é coberto pelo Governo Federal, que é o responsável pela emissão dos títulos.

Isso quer dizer que não existe garantia maior sobre o investimento que do Governo, pois para que seus rendimentos não sejam pagos, todos os bancos teriam que falir, além claro do próprio governo. Algo que nunca aconteceu na história.

Quais instituições financeiras são associadas ao FGC?

Veja a lista das instituições que são associadas ao Fundo Garantidor de Crédito:

  • Bancos múltiplos;
  • Comerciais;
  • De investimento;
  • De desenvolvimento;
  • Caixa Econômica Federal;
  • As sociedades de crédito, financiamento e investimento;
  • Sociedades de crédito imobiliário;
  • Companhias hipotecárias;
  • Associações de poupança e empréstimo.

Para ver a lista complete acesse o site do FGC.

Deseja Segurança?

Se você se enquadra no grupo que deseja possuir sempre uma segurança em seus investimentos, procurar alternativas que tenham cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) é o caminho.

Portanto, procure investimentos de Renda Fixa como CDB, LCI, LCA ou LC pois assim cobrirá todo o investimento mais os rendimento até um valor de R$ 250.000,00 por CPF ou CNPJ.

O que significa CDI?

O que significa CDI?

Quanto iniciamos nossos investimentos, principalmente em Renda Fixa, constantemente nos deparamos com a sigla CDI. Mas o que significa CDI?

Certificado de Depósito Interbancário ou simplesmente CDI é a Taxa de Juros para empréstimos entre bancos. É a principal referência usada em investimentos de Renda Fixa.

Portanto, você verá sempre diversos investimentos atrelados ao CDI, que normalmente se espera que ele renda ao menos 100% do CDI.

O que é CDI?

O Certificado de Deposito Interbancário foi criado nos anos 80, como forma de garantir que os recursos fossem distribuídos gerando um fluxo financeiro necessário para os bancos.

O CDI possui características similares aos Certificados de Depósito Bancário (CDB) sendo a diferença apenas que a negociação existe apenas ao mercado bancário.

Então quando um banco precisa de recursos e pega um “empréstimo” com um outro banco, eles acordam um valor do juros que deverá ser pago.

A média dos juros que os bancos pagam nas transações entre eles é o CDI. Normalmente a taxa CDI ficará muito próxima da Taxa SELIC.

Rendimento do CDI em um CDB

Quando você for investir em um CDB em geral verá que o rendimento daquele título é indexado a taxa CDI. Vamos a um exemplo:

Um Título do Banco XYZ com investimento de R$ 1.000,00 terá remuneração de 105% do CDI e vencimento em um ano.

Levaremos em conta para efeito de exemplo que o CDI está em 5% a.a. (Na data dessa publicação o CDI está em 2,15% a.a.)

Então temos o seguinte:

105% x 5% = 5,25%

Então seus R$ 1.000,00 teriam o juros de 5,25% após um ano (caso não houvesse mudança no CDI). Dessa forma seu investimento teria um valor final de R$ 1052,50 ou R$ 52,50 de Lucro.

CDI x SELIC x Poupança

As taxas do CDI e SELIC sempre estão muito próximas. Normalmente, a taxa DI (CDI) está algo entre 0,1 e 0,2% abaixo da Taxa SELIC ou Taxa de Juros.

Isso ocorre pois o risco de crédito existente nos empréstimos interbancários são muito semelhantes ao do governo, gerando assim um “rendimento menor”.

Outra diferença entre o CDI e SELIC é que a Taxa DI é definida diariamente pelas operações entre os bancos, já a Taxa SELIC é estabelecidade pelo COPOM (Comitê de Política Monetária).

Já a poupança possui uma regra diferente definida pelo Banco Central em maio de 2012, onde caso a Taxa SELIC esteja acima de 8,5% a poupança terá rendimento de 0,50% ao mês mais a Taxa de Reajuste.

Já se a SELIC estiver abaixo de 8,5% a poupança terá seu rendimento em 70% da Taxa SELIC.

Com isso, no momento atual, onde a SELIC está a 2,25% ao ano a Poupança terá um rendimento de 1,575% ao ano. Valor abaixo até que a Inflação (IPCA).

Fique sempre Atento

Por essas e outras que é cada vez mais importante você se manter atualizado sobre as Taxas e formas de rendimento de suas aplicações financeiras.

Também é importante ficar de olho na segurança que seu investimento possui, por isso é bom você entender como funciona o Fundo Garantidor de Crédito.

Fazendo assim que possa buscar um melhor retorno em seus investimentos ou encontrando o produto correto para o objetivo que você possui.