Análise de livro: A Estrada dá Tudo o que Você Precisa

Análise de livro: A Estrada dá Tudo o que Você Precisa

O Livro A Estrada dá Tudo que Você Precisa foi escrito pela Mirella e Rômulo criadores do canal Travel and Share.

Através do livro eles buscam falar um pouco das suas aventuras de viagem e como eles transformaram a paixão por viajar em negócio.

Eu comecei a ler esse livro sem muito conhecimento sobre os dois, pois nunca os acompanhei nas redes sociais e nem no Youtube.

Novos projetos de viagem surgiram, então decidimos fazer essa leitura em casal. Inclusive ao final daremos nossas impressões em duas partes.

A primeira de quem não conhecia eles e só leu esse livro. E a outra de alguém que já havia acompanhando o canal deles no Youtube por um certo período.

Mas primeiro vamos aos pontos principais da leitura.

Overview

Eles começam o livro explicando como era a sua vida antes de começarem o Travel and Share.

Contam que ambos vieram do mundo corporativo, onde tinham uma “vida estável”, uma carreira em ascensão e tudo corria bem até que alguns revés da vida fizeram com que eles abrissem os olhos para a forma como estavam sendo tratados pelo mundo corporativo.

Então em 2014 eles decidiram que viajariam da Argentina ao Alasca e assim surgiu o Canal e negócio Travel and Share.

Os pactos e Objetivos da Viagem

Achei interessante eles deixarem claro que a viagem tem objetivos e pactos que não podem ser esquecidos.

São eles:

  • Por terem trabalhado no mundo corporativo conseguiram juntar dinheiro, porém o pacto primordial era nunca tocar nas economias e se manter viajando através dos trabalhos que seriam realizados na estrada. A reserva servia para dar segurança e objetivo primordial era apenas engorda-la;
  • Não ficariam em um lugar se o outro não se sentir confortável;
  • Sempre se manter otimistas;
  • Dar carona aos mochileiros que entrariam na estrada;
  • Nunca expor a intimidade sem necessidade;
  • Nunca passar por cima de alguém para ter sucesso na viagem ou no trabalho.

Rotina

Eles falam também sobre a importância de se manter uma rotina no dia a dia e sobre a divisão de tarefas no trabalho.

Ambos são responsáveis pelo setor comercial da empresa onde fazem a prospecção de novos clientes, negociações e contratos.

Segundo a experiência deles com os clientes, estes se dividem em 3 grupos:

  1. O cliente que não tem conteúdo para as mídias sociais, não sabe exatamente o que precisa, mas entende a importância desse meio.
  2. O cliente que já tem uma estratégia e um briefing para as mídias sociais, mas deixa o criador de conteúdo livre para adaptar as ideias com base no que ele sabe que funciona.
  3. A empresa que já tem toda a estratégia para as mídias sociais pronta e não permite adaptações pelo criador de conteúdo.

Para quem é o Livro A Estrada da tudo que você precisa?

Para criadores de conteúdo que querem ter liberdade geográfica.

Também para quem quer ter algumas ideias de como é possível fazer dinheiro e viajar ao mesmo tempo.

Inclusive eles trazem algumas ideias de rendimentos para serem obtidos com a internet

  • YouTube: através de patrocínios e AdSense;
  • Mídias Sociais: criando conteúdo para outros perfis e assim gerando contratos;
  • Desenvolvendo cursos online;
  • Organizam grupos de viagens;
  • Escrita de livros

Com a internet as possibilidades são infinitas, basta que você realmente queira e corra atrás. E mesmo que não queira trabalhar com a internet sempre é possível inovar nas forma de ganhar dinheiro.

Pontos Positivos

Positivo
Por não conhecer o trabalho deles antes desse livro, esta é a opinião de alguém que só leu o livro e nada mais. Então pra mim estes são os pontos altos.

  • É uma preocupação de qualquer viajante, como serão as pessoas que vão encontrar na estrada. Mas eles nos tranquilizam e motivam dizendo que encontram muita gente disposta a ajudar na estrada.
  • Antes de sair de viagem eles analisaram as possibilidades e oportunidades para o negócio. Depois dessa etapa criaram um plano de ação.
  • Enfatizam a importância em se ter fluência em alguns idiomas como: espanhol e inglês. Principalmente para quem quer explorar a América Latina e Estados Unidos.
  • É notável que eles conseguiram criar um negócio inovador, em um momento que as redes sociais ainda estavam em ascensão e muita gente ainda não as via como vitrine para os negócios.
  • Deixam claro que a criação de conteúdo é um negócio tão exigente quanto qualquer outro. É preciso inovar e principalmente ter constância na produção. É um negócio que muita gente acha que é um trabalho fácil e sem dificuldades, porém quem trabalha com isso sabe não é assim.
  • Eles são um time e cada componente trabalha com o que faz melhor, então ambos sabem em qual direção caminham.
  • Mostrar a vida cotidiana, faz parte da viagem e eles compreenderam que esse tipo de conteúdo também atrai muita gente.
  • Mostrar os perrengues da vida, também atrai muita gente, pois as pessoas gostam de ver a desgraça da vida dos outros, porém essa estratégia afasta possíveis patrocinadores. As empresas não querem que suas marcas estejam vinculadas a notícias tristes.
  • Eles mostram um pouco de como funciona o couchsurfing em vários lugares por onde passaram. Descrevem situações boas e ruins que viveram utilizando essa modalidade de hospedagem.

Pontos Negativos

Fazer o quê?

  • Todas as viagens são descritas de forma bem sucinta com poucos detalhes, não sei se foi intencional ou acidental. Durante a leitura pareceu que passaram correndo por todos os países que visitaram, sem realmente aproveitar a experiência. Percebi isso porque eles enfatizam muito a necessidade de gerar conteúdos para as empresas para qual trabalhavam.
  • Segundo o relato deles, produzem vídeos por 6 horas todos os dias e outras 6 horas para cuidar das atividades administrativas e comerciais da empresa. Então creio que dessa forma não resta muito tempo para aproveitar.
  • Senti falta de uma abertura maior ao falar de dinheiro, durante a leitura ficou pairando o sentimento de pudor com esse assunto. Poderiam ter pegado alguma viagem como exemplo, para falar de finanças para nortear as outras pessoas que pretendem se aventurar na estrada.
  • Sobre o assunto dinheiro também tive a impressão que sempre estava faltando, pela forma como as situações foram descritas.
  • Não gostei muito da forma como o livro foi pensando, uma hora estávamos viajando pela América Latina e outra hora já estávamos de volta a burocracia do negócio. Gostaria de algo mais linear para ambos os lados.
  • Senti falta de explorarem o Brasil, é uma crítica não só a eles, mas muitos viajantes que acompanho que só pensam em explorar outros países. Enquanto temos um país lindo que faltam muitas coisas menos belezas naturais.

Algumas Dicas Úteis

Nesse ponto compartilho algumas dicas uteis deixadas por eles no Livro.

  • Quando começar qualquer projeto dedique seu tempo a esse compromisso, não espere está totalmente pronto, pois o caminho fica mais claro a cada passo trilhado. Inclusive esse ponto me lembrou do que dizia Kleon em Roube como Artista, não espere estar 100% pronto para começar, comece de onde está.
  • Desafiar-se constantemente, fazer as coisas sempre do mesmo jeito nos deixa desmotivados, por isso precisamos inovar. Ir em busca do conhecimento e coloca-lo em prática logo em seguida. Para assim, aos poucos ir expandindo a nossa zona de conforto.
  • No caminho sempre vamos começar coisas e elas precisam ser finalizadas em algum momento, então precisamos ficar atentos para não se prender a comodismos, com o pensamento de sempre fazer a mesma coisa por que é o mais seguro.
  • Não espere ser apoiado em suas decisões, mas nem por isso desista, vá lá e mostra que funciona.
  • Lembre-se de Guardar as Notais Fiscais de pagamentos da Europa para reembolso do IVA (Imposto)

Valores que Temos em Comum

Percebi que os dois casais tem várias ideias em comum e resolvi lista-las.

  • Planejar acima de tudo antes mesmo de começar qualquer projeto.
  • Ter uma Reserva Financeira que pode nos auxiliar nos momentos de imprevistos.
  • A rotina é importante mesmo quando você é um viajante do mundo, de qualquer forma você precisa ter controle de como utiliza seu tempo.
  • Diversifique as formas de ganhos, não coloque todos os ovos na mesma cesta.
  • Não esqueça de investir para o futuro em nenhum momento da vida.
  • Se vivem juntos, precisam aprender a respeitar o espaço de cada um. E aprender a comunicar suas necessidade e vontades.
  • Separar o que é trabalho e o que relacionamento e ter um horário para finalizar o expediente.

Citações Marcantes

Aqui deixo algumas citações do livro que achei mais interessantes e que compartilho das ideias.

“Estamos todos tão ocupados com nossas vidas, imersos em tecnologia, tão distraídos por tudo que nos rodeia no mundo, com informações chegando a nós talvez a uma velocidade mais rápida que a da luz… Em algum lugar ao longo do caminho, perdemos a conexão com a nossa alma, com o nosso espírito e a nossa conexão divina com quem realmente somos e o porquê de estarmos vivendo” Schurmann

“A estrada dá tudo que você precisa, mas ela não dá ao acaso. A estrada dá indícios. Você precisa estar atento, preparado, com o plano de ação montado e o speach na ponta da língua para aproveitar e agarrar tudo aquilo de que você precisa quando a estrada te oferecer”

“Quer viajar? Então primeiro estude, seja em uma formação convencional ou não, e só depois, com muito planejamento, pegue a estrada. Se der errado, você tem uma profissão. E nunca saia de casa sem dinheiro, sem seguro viagem, etc”

“a melhor forma de superar imprevistos é não tentar achar um culpado, mas buscar a solução e transformar isso em oportunidade. Não adianta nada ficar se lamentando. Sempre falamos em nossos vídeos que planejar é importante, mas aprender a lidar com os imprevistos também é!”

“Levar uma vida somente com o necessário para viver bem, apostando em produtos bons e duráveis para que não seja necessária troca constante”

“Se eu escolho viver de uma forma, preciso abrir mão de outras; se escolho ter algumas coisas, preciso abrir mão de uma maneira de viver”

“Temos muitos sonhos, muitos desejos. Da mesma forma que nos lançamos na estrada sem saber onde culminaríamos, seguiremos em nossas “estradas interiores”, procurando incansavelmente a realização pessoal”

Capa do Livro