Mudança: Empacotando as Bagagens

Mudança: Empacotando as Bagagens

Chegamos ao último post falando sobre a mudança. E para fechar com chave de ouro, quero falar sobre as caixas que utilizamos para a mudança.

Se você tem interesse nesse assunto confere os outros posts, aqui, aqui, aqui, e aqui.

Esse post surgiu depois que o assunto mudança me gerou dúvidas como:

  • Quantas caixas seriam necessárias?
  • Quanto custaria para transportar?
  • Como levaríamos a mudança e mais os gatos?
  • Onde encontraríamos essas caixas, para comprar ou doadas?

Todas essas dúvidas aconteceram porque nunca havia mudado de cidade. E na época que mudamos de casa levamos tudo dentro de mala, tinham poucas coisas da nossa vida de solteiros.

Então são essas dúvidas que procuro responder nesse post.

Tamanho das caixas na gol e na latam

Avião

Então a primeira parte do processo foi encontrar caixas que estavam dentro das medidas das companhias aéreas e também que tivéssemos espaço suficiente para as coisas que resolvemos manter.

Cada companhia tem as próprias regras sobre os tamanhos de bagagem despachada. Então deixo aqui especificado qual o tamanho das duas que voamos.

LATAM

O tamanho padrão da bagagem de porão na LATAM é de 23 quilos e 158 centímetros lineares (altura + largura + espessura).

GOL

Da Gol o tamanho permitido: 50 x 28 x 80 cm ****(comprimento x largura x altura) ou 158 cm (apesar de não está muito claro no site da companhia) e peso permitido de até 23 Kg.

As caixas

Para empacotar nossas coisas tivemos dificuldade de encontrar locais que tivessem caixas grandes, mesmo que fossem para a compra.

Nem nos supermercados tipo atacado que normalmente disponibilizam caixas, conseguimos encontrar.

Até que descobrimos um comércio perto de casa que vendia ovo e lá tinha montes de caixas de ovo! Então fomos nelas mesmo!

Ao total mudamos com apenas 9 caixas, levamos parceladas em duas vezes.

As primeiras 5 em março e deixamos em um storage em Curitiba e as demais na mudança definitiva.

 

Devo admitir que as caixas de ovo me surpreenderam pelas seguintes situações:

  • Elas são fortes, mas precisam de algum reforço nas laterais;
  • Como não queríamos que ficassem a mostra de que eram as caixas, colocamos papel oficio velho para cobrir as informações da marca;
  • Utilizamos papel film para reforçar ainda mais a caixa;
  • Revestimos por fora do papel film com fita durex transparente para auxiliar e ele não rasgar durante o transporte;
  • As caixas não eram do tamanho exato, então precisamos fazer alguns ajustes no papelão;
  • Elas não são tão pesadas quando vazias, por isso conseguimos colocar muitas coisa;
  • Foram de graça!

Nesse caso recomendo, caso esteja difícil encontrar outras, mais fortes.

Revestidas

Organização

Decidimos colocar nas primeiras 5 caixas coisas que não fariam falta durante os 40 dias que faltavam para a mudança, mas que queríamos manter.

Alguns itens que foram nas primeiras caixas foram:

  • Materiais de esporte como: patins, miniband, snokel, meias, bonés etc.
  • Roupas de cama mais pesadas, cabides de roupas, algumas roupas de ambos que não iríamos precisar de imediato;
  • Vários materiais de escritório, blocos de anotações, acessórios de câmera, jogos, etc.
  • Tapetes e panos de limpeza
  • Organizadores de vários ambientes

Literalmente fizemos uma varredura na casa para encontrar o que levar primeiro.

Como organizamos

Inicialmente, tentamos fazer a organização das caixas por ambiente da casa, mas depois percebemos que seria impossível.

Muitos objetos não encaixavam uns nos outros e se mantivéssemos daquele jeito perderíamos muito espaço, correndo o risco de eles chegarem danificados.

Buscamos preencher os espaços com papel e tecidos para que eles segurassem o impacto, dentro da caixa.

Anotamos o que estava dentro de cada caixa no Trello, assim tivemos mais facilidade de discernir o que era prioridade de ser aberto quando chegamos no nosso destino final: Curitiba.

O modo como embalamos com papel film e fita, ajudaram a manter a integridade das caixas, mas as paredes de algumas delas chegaram meio bambas. Porém nenhuma delas abriu.

Caixas

Custos

As companhias aéreas cobram preços diferentes para o mesmo serviço.

Na Latam pagamos na primeira bagagem (a primeira de cada pessoa) o valor de 65 e o restante desembolsamos 124 reais por bagagem.

É isso mesmo, somente a primeira é “barata” o restante todas são valor cheio.

Já na Gol, como iriamos viajar com os gatos, queríamos um pouco mais de conforto, então acabamos pagando pela passagem mais cara, nela tínhamos direito alguns serviços e dentre eles estavam também 4 bagagens inclusas. ****

Foram ao total 208 kg transportados. Nós conseguimos que a maioria das caixas ficar dentro do peso permitido.

Apenas uma bagagem ficou com o peso de 24 kg que a Gol iria nos cobrar o valor de 30 reais pelo peso excedente, mas no final acabou deixando pra lá.

Além dos valores que gastamos para o transporte, também tivemos gastos com os materiais para embalar as caixas.

Foram mais ou menos 9 fitas que custaram cerca de R$41,91 e também cerca de R$50,00 com os rolos de papel film.

Bem mais barato do que pagaríamos se fossemos fazer no aeroporto! #ficadica

Gostou das ideias que utilizamos?

E você já mudou de cidade, como foi o seu processo? Me conta nos comentários.

Mudança de cidade – Viajando com gatos pt. 2 – Custos

Mudança de cidade – Viajando com gatos pt. 2 – Custos

Fazer uma mudança de cidade não é algo tão simples como imaginamos. Ainda mais com gatos.

Então nesse post vamos falar do dia da viagem e também dos custos envolvidos no processo.

A mudança

Ter que se desafazer de muita coisa, decidir o que fica e o que vai, é um processo estressante.

Mas uma das coisas que foi mais estressante para nós, foi a preocupação e todos os cuidados que tivemos que ter com os gatos.

Sabemos que eles são sensíveis e adoram a rotina deles, por isso quando ficou concretizada a data da nossa mudança já começamos a pesquisar o que precisaríamos fazer para lhes proporcionar cuidado e conforto nessa fase de transição.

Falando mais sobre a rotina que adotamos antes do dia da viagem eu já fiz um post que você confere aqui.

O dia da viagem

O voo estava marcado para às 15 horas da tarde, queríamos chegar no aeroporto com a antecedência necessária para que pudéssemos dar atenção aos gatos, antes e durante o processo de embarque.

Então no dia da viagem, seguimos a seguinte rotina.

  1. Logo cedo fizemos a nossa rotina normal de todos os dias (tomar café, fazer exercícios físicos, etc.);
  2. Brincamos com eles para dar uma cansada e não deixamos eles dormirem;
  3. Lá pelas 09 da manhã tiramos a ração do pote e guardamos (eles precisavam ficar em jejum pelo menos 6 horas antes do vôo);
  4. Por volta das 10 horas da manhã demos o Calmsyn, para ajudá-los a relaxar;
  5. Incentivamos os dois a irem na caixa de areia uma última vez e logo em seguida tiramos toda a areia;
  6. Depois do almoço, já prontos para ir pro aeroporto, por volta das 12:30 colocamos ambos dentro da caixa de transporte;
  7. Queríamos chegar com as duas horas de antecedência, pois era obrigatório que eles passassem pela verificação de documentação da companhia aérea. Chegamos um pouco depois no despacho, pois a despedida da família demorou mais do que prevíamos;
  8. Passada a verificação de documentação, precisaram passar pela vistoria da polícia federal. Tivemos que tirar ambos da caixa de transporte para que pudessem passar pelo raio-x. Nesse ponto quem resistiu mais para sair foi a Princesa que ficou com medo e não queria sair de jeito nenhum, mas com um jeitinho ela acabou cedendo;
  9. Chegamos a sala de embarque pouco antes do embarque começar;
  10. Como os nossos assentos eram de uma categoria um pouco mais cara, tínhamos certa prioridade para entrar. Então falamos com o atendente que estava procedendo o embarque e explicamos que estamos com dois gatos e se poderíamos passar sem entrar na fila. Ele sinalizou positivamente, então aguardamos a nossa vez e logo estávamos entrando no avião.

 

Reação deles ao voo

Durante a viagem ambos de comportaram muito bem, apenas a Princesa que ficou miando de vez em quando, solicitando atenção.

Ambos não sentiram fome e sede, nem fizeram nenhuma necessidade dentro da caixa de transporte.

Dentro da Caixa

Tom foi na caixa de transporte flexível e dormiu boa parte dos voos. Princesa na caixa rígida, miou de vez em quando, e no início ficou tentando arranhar a caixa de transporte, mas depois ficou mais tranquila.

Custo da mudança com os gatos

Esses foram os valores que pagamos para a mudança com os gatos.

Consulta e exame de sangue para verificar a saúde deles de uma forma geral pagamos R$50,00 por gato.

Emissão do atestado de saúde R$100 reais por animal, mas como o veterinário deles acompanha eles há muito tempo, nos deu um desconto e saiu por R$ 150,00 os dois.

Compramos 3 caixas de transporte. Duas flexíveis e uma rígida. Sabíamos que para a Princesa não seria seguro ir em uma flexível, mas compramos uma de reserva caso a rígida não coubesse embaixo do banco.

Espaço Caixa de Transporte

A final de contas olha os espaço que temos. Nós pagamos por um assento mais espaçoso, mas no final o avião estava cheio e não conseguimos os nossos assentos.

Então para as caixas flexíveis desembolsamos R$ 133,52 por caixa no site empório das patas (lá eles vendem as caixas nos tamanhos exigidos por cada companhia aérea). E para a rígida foram R$ 69,90 compramos no pet shop da nossa cidade.

Compramos também alguns produtos para ajuda-los a ficar mais tranquilos. Como Feliway que custou o valor de R$169,90 no mercado livre. E também o Calmyn R$ 47,50 no pet shop local.

Compramos também dois peitorais com guia por R$ 27,11 cada um – no AliExpress. Esse tivemos que pedir com bastante antecedência, pois demorava para chegar na nossa cidade e precisávamos de tempo para acostumar eles a usar.

Para a companhia aérea pagamos R$250 por animal pelo transporte na cabine, se fosse no porão seria mais caro, porém não sei quanto.

Além desses custos extras, tivemos que comprar alguns itens em Curitiba que ficaram esperando no storage para serem usados no dia da nossa chegada. No pet shop compramos duas caixas de areia, dois tipos de areias diferentes e uma ração ND para gatos, pagamos o valor de R$395,00.

Em Resumo

Essa mudança com os gatos gastamos os seguintes valores:

Custos

Essa foi nossa experiência viajando com gatos, espero ter ajudado você que pretende fazer o mesmo processo. É trabalhoso, mas não impossível.

E você já viajou de avião com seu pet, me conta como foi a experiência.

Estamos de Mudança: Tchau Manaus

Estamos de Mudança: Tchau Manaus

Deixar Manaus não foi uma decisão fácil. Mas essa ideia já rondava nas nossas cabeças há alguns anos. E agora decidimos que é a hora.

Planejamos inúmeras vezes, mas as dificuldades que teríamos nos mudando para qualquer outro lugar sempre derrubavam a nossa vontade de realmente ir.

Eram simples desculpas que nos impediam de ir e realizar o nosso sonho. Valorizamos muito a nossa liberdade e até agora estávamos adiando.

Então quando o projeto motorhome surgiu, resolvemos deixar de lado as desculpas e nos aventurar.

Aventura ou Segurança

Por que decidimos ir embora

Antes mesmo de nos casarmos já nos aventurávamos pelo Brasil e depois que nos casamos ficou a vontade de explorar só cresceu.

Mas com o passar do tempo começamos a perceber alguns fatores que nos desanimávamos ao planejar em viajar.

1- Distâncias muito longas

Manaus sempre esteve muito distante de todo o resto do Brasil, em qualquer meio de transporte.

Gostamos de compartilhar nossas experiências de viagens e gerar conteúdo de viagens é difícil estando tão longe.

Além disso, dentro da região as estradas para outros municípios são péssimas, veja no post que fiz quando fomos ao Cirandeira Bela, em Manacapuru.

Então temos situações que estão fora do nosso alcance.

2- Dependência das companhias aéreas

Então já que por sair por estradas é bem difícil a única opção que temos…

Avião

É sair de avião, mas que também temos inúmeras limitações. Temos uma lista de situações que dificultam a vida de qualquer viajante.

  • Por estar muito distante, as companhias áreas simplesmente fazem o que querem. Tiram voos com frequência e os passageiros que se virem para se adaptar aos voos.
  • Cancelamentos fazem parte da rotina, de quem quer viajar.
  • Temos poucos voos direto para qualquer lugar do Brasil, tirando São Paulo e Brasília.
  • Preços das passagens bem elevados.
  • Enfrentar horas de aeroporto e avião

Então está sujeito as necessidades da companhia aérea.

E ter o nosso poder de escolha diminuído. Geram irritação e incomodo.

Isso, além do que viajar de avião faz você perder muitas paisagens lindas

3- Vontade de percorrer o Brasil de forma mais autônoma, quem sabe de carro

Viajar de avião é passar voando e perder muitas paisagens deslumbrantes

Motorhome

Sabemos que esse meio de transporte economiza bastante tempo de deslocamento. Mas muito do tempo economizado é perdido entre o aeroportos, conexões, embarques e desembarques.

Quando começamos a alugar carro, percebemos o quanto esse meio nos gera autonomia e poder de escolha. Então, o carro se tornou uma boa opção, pelos seguintes motivos.

  1. Podemos escolher o horário que vamos sair e aproveitar tudo o que vier pelo caminho;
  2. Podemos conhecer muitos destinos, que de outra forma seria difícil;
  3. Podemos parar a qualquer momento para descansar, fazer refeições, trabalhar, etc;
  4. Nada de multidões e correrias.

É claro que sabemos que nem todas distancias podem ser percorridas de carro, mas queremos poder fazer o máximo que der.

Não temos pressa e de carro essa nossa vontade é atendida.

Deixamos Manaus pois sabemos que as nossas estradas não vão estar aptas a trafegar tão cedo. E infelizmente não podemos esperar pelo poder público.

4- Viagens muito curtas

Todos esses fatores começam a pesar, quando nos damos conta que as viagens se tornam mais curtas.

Sempre tínhamos que reservar pelo menos dois dias para a viagem, um na ida e outro na volta.

Se era uma viagem de 7 dias, restavam apenas 5 dias para efetivamente conhecer a cidade ou região.

Então aquela viagem que tanto sonhamos é bem menor do que no planejamento.

5- Sempre que viajávamos os gatos sofriam

Gatos Caixa

Poder viajar todo ano, no momento que queríamos sempre foi um motivo de felicidade, mas sempre que pensávamos em viajar vinha a preocupação com os nossos gatos.

  1. Quem iria cuidar deles? Família ou pettsitter?
  2. Organizar tudo o que ele precisariam em quanto estivéssemos fora.

Além disso percebemos que a cada viagem que fazíamos eles perdiam peso, o pelo caía e que eles realmente sofriam quando estávamos fora, mesmo que estivessem com alguém que já conviviam com frequência.

Então para acabar com esse sofrimento resolvemos, que daqui para frente eles nos acompanham nas nossas viagens e aventuras.

Eles sempre foram gatos que vivem em um lugar fixo, mas sei que vão se acostumar uma vida de liberdade, que também é novidade para a gente.

6- Planejar uma viagem e depois voltar para a rotina não gerava empolgação

Depois de inúmeras viagens já seguíamos um roteiro de tudo que precisava ser feito para a viagem acontecer com tranquilidade.

Era toda uma logística que tínhamos para poder viajar com tranquilidade

  • Gatos – seguros
  • Trabalho – levar todos os equipamentos para trabalhar se fosse necessário
  • Tempo – escolher o tempo ideal do mês e do ano, para viajar com tranquilidade

Então no início planejar uma viagem sempre gerava muita empolgação, mas com o tempo acabamos cansando

De ir ficar apenas um curto espaço tempo, nos encantar com os lugares que passamos e depois voltar a ficar na mesma rotina de sempre.

Sonhando em quando seria a próxima viagem, então decidimos que não queríamos mais viajar desse jeito.

Queremos sim, viajar conhecendo cada local com calma e vivendo como um local, sem pressa para voltar para casa.

6- Viagens para relaxar e não para ver tudo correndo

E conforme as viagens iam passando começamos a fazer as coisas de uma forma um pouco diferente.

Deixamos de fazer as coisas correndo, buscamos aproveitar as coisas do nosso jeito, e nem sempre íamos a lugares turísticos.

Apreciar o momento era a nossa principal intenção em cada viagem. Independente de perder uma atração importante.

O objetivo maior em cada viagem era relaxar e aproveitar. E esse é o principal valor que nós queremos passar para quem nos acompanha.

E por fim…

7- Manaus é uma cidade enorme…

E sofre com muitos problemas de cidades grandes

Com o passar dos anos a cidade se desenvolveu bastante e junto vieram os problemas.

  • Violência
  • Transito caótico
  • Insegurança
  • Falta de saúde

Chegamos a um ponto que essas situações começam a encher o saco. E o que dá vontade é de sair mesmo.

Começamos a fugir de cidades grandes, pois todas elas sofrem dos mesmo problemas.

Por isso sempre incluímos nos nossos roteiros cidades menores e que não sofrem com esses problemas. E percebemos que gostamos muito dessa tranquilidade.

Buscamos uma cidade mais organizada, sem tanto caos. Ter contato com outras pessoas sem tanto medo. Poder ter contato com a natureza sem ter que percorrer distancias.

É claro colocamos na balança todos esses itens antes de realmente decidir pela mudança.

Como realmente decidimos

A mudança envolve muitos fatores que pesamos na balança através de uma análise de Prós e Contras.

Fizemos essa análise lá no início de dezembro de 2020, muito antes de tomar a decisão.

Colocamos no nosso quadro lado a lado o que nos motivava a ficar e o que nos dava força para ir.

Veja o que levamos em consideração ao tomar na nossa decisão.

Prós

  1. Viagens com um custo reduzido
  2. Não precisaríamos mais escolher entre guardar dinheiro e viajar, pois os destinos estariam muito mais perto
  3. Nada de aviões, se não leu o post que falo sobre esse assunto confere lá.
  4. Muitas aventuras na estrada
  5. Slow Travel ou viajar mais devagar, aproveitando bem cada lugar
  6. Aprender a usar os recursos de forma mais consciente
  7. Conhecer novas pessoas
  8. Liberdade geográfica
  9. Minimalismo na prática, realmente desapegar desde o momento de desmontar nossa casa
  10. Aprender a se virar em situações adversas
  11. Superar medos
  12. Novas experiências

Contras

  1. Estar longe da nossa família
  2. Adaptação dos gatos
  3. Espaços reduzidos (no caso do Motorhome)
  4. Recursos mais escassos: água, energia, banheiro (no caso do Motorhome)
  5. Reinvenção dos nossos trabalhos de forma a se adaptar quando estivermos na estrada.

Então foram esses motivos que nos fizeram deixar Manaus.

Podemos voltar? Claro que sim.

Sempre amei morar aqui e me orgulho de ser Manaura, mas por hora queremos vislumbrar novos horizontes.

Quem sabe algum dia Manaus e outras regiões do norte se desenvolvam com sustentabilidade e cuidado com os moradores.

Tchau Manaus, até breve.

Ponte sobre o Rio Negro